Social
Coisas do Corisco : PESCA AO ATUM – FILHOS E ENTEADOS!

Coisas do Corisco : PESCA AO ATUM – FILHOS E ENTEADOS!

Mais uma vez publicamos neste site um artigo de opinião que val a pena pensar nisto:

“Disse o Dr. Carlos Falcão Afonso, no seu artigo do passado domingo dia 11 de Setembro, neste jornal, que não se compreendia o silêncio dos visados perante muitas das minhas suspeitas e acusações que motivaram o estado caótico em que se encontram os 2 maiores pilares da economia açoriana: agricultura e pescas.
Não fora esse reparo do Dr. Falcão e eu teria encerrado aquilo que na altura julgava suficiente para acordar os açorianos acerca do mal como que, principalmente o ciclo socialista, entalou os Açores nos seus principais geradores de riqueza.

Disse num dos meus artigos que quando a Lotaçor comprou a indústria de conservas Stª Catarina, na Calheta de S. Jorge, que dada a sua situação financeira ruinosa, a mesma se tinha envolvido num grande sarilho pois, fugindo ao seu estatuto de gestora da rectidão e transparência das vendas de peixe nos Açores e prestando os serviços sociais que prestava à pesca artesanal, tinha-se afogado, a si própria, num enredo financeiro calamitoso sem solução.

Disse também que a Stª Catarina, a Lotaçor, e a Subsecretaria das Pescas se confundiam pois nunca saberemos quem é quem, nem onde começa e acaba qualquer das partes. Por isso a Stª Catarina como propriedade da Lotaçor serve-se desta e a Lotaçor como empresa 100% do governo serve-se dele e nós povo é que pagamos tudo isso. Assim e por isso, nunca chegaremos a saber os contornos que levam ao funcionamento das partes.

Contudo tornar-se-á fácil os leitores o perceberem quando explicar aquilo que a minha consciência julga explicável à opinião pública, uma vez que o Governo encapota a Subsecretaria das Pescas nas suas desastrosas decisões, o subscretário das pescas cobre os altos prejuízos da Lotaçor, e esta a catastrófica exploração da Stª Catarina: tudo sob o pretexto de protegerem os cerca de 100 postos de trabalho daquela conserveira, como se o governo não tivesse deixado centenas de outras empresas falirem ou entrarem em recessão financeira despedindo milhares de empregados.

Com a Stª Catrina no circuito das pescas, com a capa que a Lotaçor e o Governo seu árbitro lhe atribui, eis que começou uma luta, quanto a mim desonesta, da Subsecretaria das Pescas e do Governo Regional dos Açores senão vejamos:

Se não me engano, entre 2007 e 2008, foram canalizadas ajudas à Associação de Industriais de Conservas de Atum dos Açores, “Associação Pão”, uma verba razoável para ajuda aos industriais de conserva regionais. Pasme-se que de um bolo total de 2 milhões de euros, foram distribuídos 1,5 milhões à Cofaco e 500 mil euros à Stª Catarina, deixando-se de lado, como se fosse lixo, a Sociedade Corretora, numa discriminação e desfaçatez sem precedentes e num desrespeito incrível por uma empresa com 99 anos de existência que tem uma marca de alta qualidade reconhecida não só em Portugal mas também na Europa, com maior incidência em Itália.

Também que saiba, a determinada altura de 2009, a Lotaçor chegou mesmo a proibir os barcos de pesca artesanal a descarregarem atum fresco para a Corretora quando a mesma foi sempre fiel compradora do peixe daquelas embarcações pelos tempo fora, impedindo também a descarga de uma traineira para a mesma, sob o pretexto que a entrega do peixe estaria dependente do seu pagamento. Como? Se todos nós sabemos que as indústrias não podem pagar senão entregas por conta até que começam a venda do atum em conserva, porquê essa exigência à Corretora? Com que autoridade se a Cofaco e Stª Catarina também usam o mesmo esquema de pagamento faseado?

A resposta é simples: o próprio subsecretário das pescas disse de viva voz numa reunião com os conserveiros, para perplexidade de todos os presentes, que a Corretora deveria fechar as portas. Será que o subsecretário tem o direito, o desplante e a arrogância, de fazer tal afirmação? Fechar a Corretora? O mesmo homem, sim Marcelo Pamplona, tem o direito e atrevimento de com o seu aval ter a Lotaçor comprado a Stª Catarina para salvar cerca de 100 postos de trabalho e querer a falência de uma empresa com 99 anos, com muito mais que 100 postos de trabalho e a qualidade fabulosa que embandeira as suas conservas? Esse mesmo senhor que faz asneiras atrás de asneiras e continua a enterrar as pescas nos Açores?

Outra questão que se põe é o caso das capturas de bonito efectuadas em 2010 e vendidas no começo de 2011 para satisfazer, ao que se disse, necessidades de tesouraria da Lotaçor por preços inferiores a um euro/kg. Não deveria a Lotaçor ter esperado para ver como se desenrolaria a safra do bonito de 2011 para então o vender, caso não fosse necessário o bonito armazenado? Nada disso: venderam o bonito pelo preço da palha com despesas de frio incluídas e depois com a safra fraquíssima que acabou por ser a de 2011, as conserveiras tiveram que importar bonito a 1,05 euros/kg acrescido de cerca de 30/40 cêntimos/kg de despesas de congelação e conservação, ou seja: vendeu-se a menos de um euro para se importar por cerca de 1,30 euros numa política de terra queimada com que os governantes têm gerido a política de pescas regional.

Daí o prejuízo que a Lotaçor diz ter tido de cerca de 2,5 milhões de euros quando se julga que foi muito mais do que isso e que no triunvirato formado no governo ninguém sabe, nem tão pouco o Tribunal de Contas que tapa os olhos para não ver e denunciar essas arbitrariedades.

Pergunta-se: Quem pagou esses milhões? Nós povo claro! Porque a Lotaçor mistura-se no Governo, como a Stª Catarina na Lotaçor, como um polvo que tudo esconde no seu mimetismo financeiro.

Muito mais haveria para dizer sobre a pesca do atum, das manigâncias, erros e azelhice do subsecretário nas negociações da nossa riqueza de atum à ACTENSA, uma empresa espanhola, encabeçada por um madeirense que está a soldo de espanhóis.

Mas fico por aqui e sempre quero ver como descalçará a bota o subsecretário das pescas se houver, ainda este ano, algum bonito em que proibiu a venda directa aos espanhóis mas que como todos nós sabemos tal não sucederá. Quem ficaria com o patudo que viesse misturado com bonito? Diga lá ao povo senhor subsecretário.
Tudo isto me mete dó pois a minha Região, sim a minha terra, esta terra que adoro, caiu nas mãos da incompetência como sucedeu sob o domínio socialista: SEM REI NEM ROCA.”

Autor: Valdemar Oliveira in Correio dos Açores

5 Comentários neste artigo

  1. blank
    Barcarrola

    que o homen não cuida da sua vida direito não quer diser que não estejea a dizer as verdades, é so vere oque este secretario vex aos homes do mar, dar dinhero a torto e adireito para nos calar. tem vergonha Sr, anonimo.

    Responder
  2. blank
    Entre EspadaPreto e a Parede

    BRAVO, Sr. Valdemar Oliveira, até que enfim que alguém tem a coragem de colocar o dedo na ferida, há muito tempo que os partidos da Oposição e a APASA deveriam ter denunciado esta e outras situações. Este Sr. de Pamplona foi um tal beneficiar uns “amigos” em detrimento de outros, lançando a confusão nas Pescas, deu-se ao luxo de pressionar todos aqueles que não partilhavam das suas opiniões e decisões. E como exemplo dou esta associação na qual estou a utilizar o seu site, de tudo fez este Sr. Sub-secretário, para a fechar ou colocar como seu presidente um dos seus “meninos”, mas tudo tem o seu tempo, e a historia um dia fará justiça.
    Já agora Sr. Valdemar Oliveira, devia debruçar-se sobre a empresa Espada Pescas, Lda., a qual tem feito negócios ruinosos com o Espada Preto.
    Estas empresas a coberto do Sr. Subsecretário, não só são um desastre como vão ser a ruína da Lotaçor, que mais não devia ser do que uma empresa responsavel pela venda do peixe nas lotas, tal foi a linhas pela qual ela “lotaçor”se coseu que está toda enriçada. Estranho é como os seus últimos Presidente se deixaram levar por tantas asneiras, que custam os olhos da cara a todos os contribuintes, em especial daqueles que trabalham no sector.
    Esperemos agora é que ele vá pregar para outras bandas, que por cá já teve a sua dose asneiras.

    Responder
    • blank
      Anónimo

      incrivel e alguém far crédito a artigos de opinião de uma pessoa que a única coisa que fez em pro das pescas foi enganar, defraudar, olhar para os seus interesses e ainda por cima não saber gerir as suas coisas, chegando ao cúmulo de enganar os seus parceiros de Direção. Tenha vergonha na cara SR. Valdemar.

      Responder
      • blank
        pedras negras

        Senhor Anónimo, pois é quando a vaca tinha as tetas cheias e todos mamavam estava tudo bem e o homem era o máximo, quando as tetas começarão a não dar para todos era só para ele foi tal desfraldar e enganar.
        Senhor Anónimo, porque não fala das aldrabices que foram os abates das embarcações da FROTA AZUL, quer que nomeia nomes delas?.
        Tenha vergonha você de falar daquilo que julga que sabe mas na realidade não sabe rigorosamente nada.

        Responder
      • blank

        Senhor Anónimo
        Lendo com muita atenção o seu comentaria fiquei com a noção de que o Senhor saberá muito, deixando-nos um pouco curiosos.
        Para quem lê este escrito fica com alguma agua na boca tentando perceber o que vai das suas palavras, não deixa de ser curioso o seguinte:(a única coisa que fez em pro das pescas foi enganar, defraudar, olhar para os seus interesses, chegando ao cúmulo de enganar os seus parceiros de Direção, são suas as palavras).
        Julgo que ficaria bem a vossa Excelência que nos pudesse fornecer mais algo de concreto para que possamos perceber as suas palavras e então fazer um juízo de valor, sobre o artigo.
        Obrigado

        Responder

Deixe um Comentário