Social
Microalgas podem ser fonte alternativa de ómega-3, em vez dos peixes, aponta estudo

Microalgas podem ser fonte alternativa de ómega-3, em vez dos peixes, aponta estudo

Estudo da Universidade Martinho Lutero, na Alemanha, concluiu que as microalgas podem ser uma alternativa ao ómega-3, substituindo algumas espécies de animais e sendo mais amigas do ambiente.

As microalgas podem ser uma fonte alternativa de ácidos gordos ómega-3, substituindo espécies de peixe e sendo mais amigas do ambiente, segundo um estudo da Universidade Martinho Lutero, de Halle-Wittenberg, Alemanha.

O estudo, publicado na revista cient√≠fica ‚ÄúJournal of Apllied Phycology‚ÄĚ, baseia-se em investiga√ß√Ķes feitas por cientistas alem√£es, que indicam que a¬†cria√ß√£o de microalgas para alimenta√ß√£o pode ser uma boa alternativa a peixes de aquacultura como o salm√£o.¬†As microalgas s√£o investigadas h√° d√©cadas, primeiro para mat√©ria-prima para combust√≠veis alternativos aos f√≥sseis e mais recentemente como fonte de nutrientes na dieta humana. Atualmente s√£o especialmente produzidas em tanques ao ar livre na √Āsia, com potenciais riscos de contamina√ß√£o, sendo que algumas esp√©cies s√£o mais f√°ceis de cultivar em sistemas fechados designados fotobiorreatores.

‚ÄúQuer√≠amos saber se as microalgas produzidas em fotobiorreatores na Alemanha podiam fornecer uma fonte de nutrientes essenciais mais amiga do ambiente do que o peixe‚ÄĚ, explicou Susann Schabe, do Instituto de Ci√™ncias Agr√≠colas e Nutricionais da Universidade. Os fotobiorreatores t√™m sido comparados aos tanques em termos de impactos ambientais e s√£o considerados com custos mais elevados. ‚ÄúNo entanto tem sido feita pouca investiga√ß√£o sobre a extens√£o precisa dos impactos ambientais das algas produzidas para consumo humano, especialmente em condi√ß√Ķes climat√©ricas como as encontradas na Alemanha‚ÄĚ, acrescentou Susann Schabe.

Os investigadores desenvolveram um modelo para determinar os impactos ambientais num local específico e compararam a pegada de carbono dos nutrientes das microalgas e dos peixes, analisando também o quanto ambas as fontes alimentares aumentaram a acidificação e eutrofização da água, explicou Toni Meier, chefe do gabinete de inovação (nutriCARD) da Universidade.

Como resultado da investiga√ß√£o ficou demonstrado que a cria√ß√£o de microalgas tem um impacto ambiental semelhante ao da cria√ß√£o de peixe. ‚ÄúContudo, se compararmos os efeitos ambientais em rela√ß√£o √† quantidade de √°cidos gordos √≥mega-3 o peixe de aquacultura fica a perder‚ÄĚ disse Schade.

‚ÄúAs microalgas n√£o devem e n√£o podem substituir completamente o peixe como fonte alimentar, mas se pudessem ser consideradas como um alimento normal seriam outra excelente fonte de √°cidos gordos de √≥mega-3‚ÄĚ, explicou Toni Meier.

Fonte: Observador

Deixe um Coment√°rio