Social
Proposta de Bruxelas para 2013 prevê cortes de capturas para nove espécies em águas Portuguesas

Proposta de Bruxelas para 2013 prevê cortes de capturas para nove espécies em águas Portuguesas

A Comissão Europeia apresentou hoje a sua proposta de possibilidades de pesca para 2013 no Atlântico, que prevê a redução dos totais admissíveis de capturas (TAC) para nove unidades populacionais em águas portuguesas, na grande maioria acima dos 20 por cento.

Entre as unidades populacionais para as quais é proposta uma redução de TAC, contam-se reduções de 55 por cento das capturas de arinca e de 38 por cento para as de tamboril na costa portuguesa, Portugal Ocidental, Açores e Madeira.

Ainda para estas águas territoriais, Bruxelas propõe também a redução de 27 por cento do total de capturas de areeiros, 20 por cento das possibilidades de pescas de solha, juliana, escamudo e linguado, 10 por cento das capturas de lagostim, e, por fim, uma redução de 3 por cento das capturas de carapau na costa portuguesa e Portugal Ocidental.

Em contrapartida, a proposta da Comissão admite aumentos das possibilidades de pesca de pescada (15 por cento) na costa portuguesa, Portugal Ocidental, Açores e Madeira, e de 1 por cento das capturas de bacalhau nos Açores e Madeira, mantendo inalteradas as quotas para a anchova.

Ao critério de Portugal, ficam as possibilidades de pesca de Carapau na Madeira e Açores, e de badejo em todas as águas.

A proposta hoje apresentada estabelece totais admissíveis de capturas e níveis de esforço de pesca para as unidades populacionais geridas exclusivamente pela UE. Em termos gerais, a Comissão decidiu, com base em pareceres científicos, propor aumentar ou manter os TAC para 16 unidades, e reduzi-los no caso de 47, adiando propostas sobre 13 espécies para as quais ainda não há pareceres científicos.

A proposta da Comissão será agora alvo de negociações com os Estados-membros, tradicionalmente longas.

Fonte: Agência Lusa

1 Comentário neste artigo

  1. Costumo apanhar bacalhau no Continente* ali à Principe Alberto de Mónaco…
    *
    (Supermercado)
    Toda a gente sabe que não há bacalhau nos Açores e na Madeira, assim como outras espécies contempladas nas propostas da Comissão Europeia e que isso seja usado inteligentemente pelos nossos representantes em defesa dos interesses dos Açores.Os nossos representantes têm que ser mesmos Açorianos para que não sejamos usados como moeda de troca.

    Responder

Deixe um Comentário