Social
Campanha SOS Cagarro vai prolongar-se até sexta-feira

Campanha SOS Cagarro vai prolongar-se até sexta-feira

O Diretor Regional dos Assuntos do Mar afirmou hoje, na Horta, que a Campanha SOS Cagarro, que se realiza anualmente de 15 de outubro a 15 de novembro, “vai prolongar-se por mais cinco dias devido à saída tardia dos juvenis dos ninhos”.

Filipe Porteiro, que falava durante uma visita à Casa dos Dabney e ao Aquário de Porto Pim, no âmbito das comemorações do Dia Nacional do Mar, salientou que, “até 13 de novembro, foram recolhidos na Região 3.400 cagarros juvenis, mais 1.200 em relação ao ano passado”, acrescentando que “este número está dentro do valor médio anual destas campanhas”.

Nesse sentido, considerou “muito positivo” o balanço da campanha deste ano, destacando o aumento de cagarros salvos em todo o arquipélago, com exceção da ilha das Flores.

Neste evento, operacionalizado pelo Parque Natural do Faial e que contou a presença de alunos da Escola Básica Integrada da Horta, Filipe Porteiro alertou para a necessidade de se proteger o ambiente marinho dos Açores.

“Há um envolvimento cada vez maior dos Açorianos em ações de conservação e de valorização da natureza, demostrando que as políticas nesta áreas têm tido um impacto positivo na nossa sociedade”, afirmou.

Filipe Porteiro salientou ainda que “há uma evolução da cultura de natureza, bem como da promoção dos valores ambientais na Região”, adiantando que, no âmbito da campanha SOS Cagarro 2015, mais de duas mil pessoas já participaram em mais de cinco dezenas de iniciativas.

As crianças que acompanharam a visita do Diretor Regional dos Assuntos do Mar ao Aquário de Porto Pim presenciaram a anilhagem de um cagarro juvenil e ficaram também a conhecer uma tartaruga-boba, uma espécie em perigo, que está em recuperação depois de ter sido recolhida no início de outubro com graves ferimentos.

Filipe Porteiro alertou para o problema do lixo flutuante, nomeadamente os plásticos, acrescentando que o Dia Nacional do Mar é o momento oportuno para a sensibilização ambiental, bem como para “pensarmos nos nossos recursos marinhos e na necessidade de nos relacionamos de forma sustentável com o mar”.

Fonte: GaCS

Deixe um Comentário