Social
Pesca em Sesimbra carece de ajudas estatais para subsistência

Pesca em Sesimbra carece de ajudas estatais para subsistência

A pesca do peixe espada preto em Sesimbra tem-se revelado sustentável ao longo dos anos mas as sucessivas limitações impostas pela administração central, desde a ausência de apoios aos pescadores ou a perda da licença aos 55 anos, são encarados pela autarquia como inimigos da arte piscatória. Durante a semana gastronómica do peixe espada preto, José Polido, vereador das atividades económicas na Câmara Municipal de Sesimbra, revela a “grande pressão junto da administração central para mudar várias limitações à pesca”.

 

“Não se admite que aos 55 anos, um homem seja impedido de exercer a sua atividade se entender que está nas plenas poses para continuar”, frisa José Polido. Já Ricardo Santos, presidente da Cooperativa de Pescas de Setúbal, Sesimbra e Sines explica que esta lei surge no sentido do “desgaste que a profissão de pescador acarreta”. “Quando se atinge os 55 anos, o pescador profissional, regra geral, já exerce a profissão desde os dez anos de idade”, prossegue.

A revisão do Plano de Ordenamento do Parque Natural da Arrábida, principalmente no que diz respeito à proibição de pescar no Parque Marinho Luiz Saldanha, tem sido uma reivindicação do poder local ao Governo, já que “o número de barcos que pescavam na zona diminuiu para metade, de 114 para 60”, afirma José Polido. “São necessárias alternativas às consecutivas limitações que não garantem a sobrevivência da pesca”.

A adesão de jovens à profissão da pesca em Sesimbra tem sido algo frequente ao longo dos anos, em parte devido à falta de oportunidades noutro setor do mercado laboral. Apesar de José Polido não obter números relativos a este fator, demonstra que a pesca “tem de ser olhada pelos jovens como uma profissão com futuro e não como uma última alternativa face ao desemprego”. “Na pesca do peixe espada preto há 300 profissionais no concelho que fazem deste o seu sustento”.

A quinzena gastronómica do peixe espada preto, que decorre até ao próximo fim de semana, tem hoje o dia mais atrativo, quando o público pode provar dezenas de receitas de peixe espada preto por um preço especial de sete euros em todos os restaurantes aderentes à iniciativa. Tranche de Peixe-espada Preto com Papaia, Servido com Brás de Legumes, Lombo de Peixe-espada Preto Corado em Azeite, Migas de Batata e Grelos Salteados ou Filetes de Peixe-espada Preto com Molho de Moscatel e Camarão Flamejado são algumas das propostas desta edição, que conta com a participação de 37 restaurantes.

José Polido refere que esta iniciativa, organizada pelo oitavo ano consecutivo, surgiu para impulsionar a visibilidade do peixe espada preto nas principais superfícies comerciais mas hoje, já que esse principal objetivo foi conseguido, “é necessário não deixar que o trabalho todo caia em saco roto”. A Quinzena Gastronómica do Peixe-espada Preto, criada em 2006 pela Câmara Municipal, é organizada em colaboração com a ArtesanalPesca e as associações de comerciantes locais.

Fonte: Anopcerco

1 Comentário neste artigo

  1. blank
    Pescador Preocupado

    “Não se admite que aos 55 anos, um homem seja impedido de exercer a sua atividade se entender que está nas plenas poses para continuar” pois se estes homens forem para a reforma vão ganhar quanto? uns míseros 100 euros de reforma não há profissão mais desgastante que a vida de pescador mas as regalias são poucas ou nenhumas.

    Responder

Deixe um Comentário