Social
“Plano Junker” deve ser melhorado para potenciar economia marítima nas regiões periféricas, defende Vasco Cordeiro

“Plano Junker” deve ser melhorado para potenciar economia marítima nas regiões periféricas, defende Vasco Cordeiro

O Presidente do Governo dos Açores desafiou hoje, em Bruxelas, a Comissão Europeia a trabalhar em conjunto com as regiões costeiras para melhorar o potencial do ‘Plano Juncker’ para o desenvolvimento da economia marítima europeia, em particular nas regiões periféricas.

Vasco Cordeiro, que também preside à Conferência das Regiões Periféricas e Marítimas da Europa (CRPM), falava na abertura do seminário ‘Blue.Invest – EU Support to Maritime Regions’, onde defendeu que o chamado ‘Plano Juncker’ “pode constituir uma oportunidade para as regiões costeiras, mas é necessário assegurar que nenhuma fique pelo caminho” no aproveitamento deste plano apresentado pela Comissão Europeia para estimular o crescimento económico e a criação de emprego na União Europeia.

Na sua intervenção, o Presidente do Governo alertou para a complexidade dos mecanismos previstos neste plano e chamou ainda a atenção para o caso das “regiões periféricas em que as questões de mercado, a distância em relação aos grandes centros ou outras caraterísticas podem não cativar o interesse dos investidores privados, situações em que será necessário manter alguma flexibilidade na utilização dos restantes fundos comunitários” por forma a alavancar o potencial da economia marítima em todas as regiões.

Vasco Cordeiro apontou o exemplo da aposta que os Açores estão fazer no chamado ‘crescimento azul’ e que está vertida na Estratégia de Especialização Inteligente Açores para o período 2014/2020.

As Pescas e os Assuntos Marítimos são um dos eixos fundamentais desta estratégia, adiantou Vasco Cordeiro, salientando que abrange várias áreas relevantes para o desenvolvimento dos Açores, desde as pescas, o turismo, a biotecnologia, a sustentabilidade ambiental, a investigação, a logística, os portos ou o reforço do papel do arquipélago como plataforma intercontinental e transatlântica entre a Europa e a América do Norte.

“Temos disponíveis cerca de 280 milhões de euros para as atividades marítimas nos Açores entre 2014 e 2020. Estas verbas provêm do Fundo Europeu do Desenvolvimento Regional, Fundo Social Europeu, Fundo de Coesão e Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e da Pesca e representam mais de 20% do total dos fundos atribuídos aos Açores no período de programação” que vai até 2020, anunciou o Presidente do Governo.

Nesse sentido, Vasco Cordeiro defendeu, que, ao nível das instituições comunitárias, “muito mais pode e deve ser feito” no aproveitamento do potencial da economia marítima para o crescimento e desenvolvimento das regiões costeiras europeias, com reflexos no bem-estar das respetivas populações.

Elogiando os diversos exemplos de regiões-membro da CRPM que colocam o ‘crescimento azul’ no centro das suas estratégias de especialização inteligente, Vasco Cordeiro defendeu que “só agindo em conjunto podemos colocar a economia marítima ainda mais ao serviço e em benefício da estratégia de crescimento e emprego da Europa”.

Este seminário foi organizado pela Comissão Europeia e pela Conferência da Regiões Periféricas e Marítimas da Europa (CRPM), organização presidida por Vasco Cordeiro desde setembro de 2014 e que integra cerca de 150 regiões de 28 estados europeus, agregando cerca de 200 milhões de cidadãos.

Fonte: GaCS

Deixe um Comentário