Social
Barcos obrigados a pescar menos

Barcos obrigados a pescar menos

Estabelecido um limite de 7500 toneladas de sardinha para os primeiros cinco meses de 2014. Uma redução de quase 40% em relação ao corrente ano.

Os barcos da frota da pesca da sardinha do Algarve estão parados até ao final do ano, devido ao defeso da espécie, mas quando regressarem ao mar vão ter disponível uma quota de apanhas menor do que a deste ano.

Segundo um despacho do Governo, já publicado em Diário da República, nos primeiros cinco meses de 2014 só poderão ser capturadas, a nível nacional, 7500 toneladas de sardinha pela frota da arte do cerco. Este ano, nesse mesmo período, o limite foi de 12 mil toneladas, ou seja, vai ser aplicada uma redução de quase 40%.

“É uma diminuição muito grande e que não nos agrada. Só aceitámos porque no início do próximo ano haverá barcos de outras zonas do País que estarão parados, devido ao defeso”, explica Mário Galhardo, presidente da Barlapescas, organização de produtores e cooperativa de armadores de Portimão.

Este dirigente associativo ainda refere que os limites de captura para o resto do ano de 2014 ainda não foram definidos, dado que primeiro será necessário fazer uma avaliação dos recursos de sardinhas existentes no mar.

O Plano de Gestão para a Pesca da Sardinha 2012-2015 prevê a revisão anual da quota disponível para a frota da arte do cerco. Há inclusive uma comissão de acompanhamento que procede à análise de novos dados entretanto obtidos e propõe os ajustamentos necessários à gestão sustentável da espécie.

O período de defeso da sardinha é de 45 dias, decorrendo em alturas diferentes do ano nas várias zonas de pesca do País.

 

Fonte: Correio da Manhã in ANOPCERCO

1 Comentário neste artigo

  1. PescadorPreocupado

    Pois se a isca estava cara agora como ficamos? andamos a comprar sardinha para isca a 1.80 e a vender peixe a 1.5 isto assim ninguém aguenta.

    Responder

Deixe um Comentário