Social
Direção Regional da Cultura dos Açores promove palestra sobre a expedição arqueológica do “HMS Revenge”

Direção Regional da Cultura dos Açores promove palestra sobre a expedição arqueológica do “HMS Revenge”

A Direção Regional da Cultura promove quinta-feira, 7 de julho, pelas 17h30, no Palacete Silveira e Paulo, em Angra do Heroísmo, a realização de uma palestra intitulada “À procura do HMS Revenge: Azores International Marine Archaeological Expedition 1972”.

A conferência será proferida pelo fotógrafo subaquático Patrick Baker, que participou na campanha de 1972, liderada por Sydney Wignall, em parceria com Manuel Baptista de Lima, primeiro diretor do Museu de Angra do Heroísmo, na procura do local de naufrágio do ‘Revenge’, famoso navio de guerra inglês que afundou na costa da ilha Terceira, em 1591.

O ‘Her Majesty Ship Revenge’, construído em 1577, era um galeão da Royal Navy que, capitaneado por Sir Francis Drake, participou na contenda de Cádis, em 1588, comandou a frota inglesa na batalha de Gravelines, vitoriosa contra a “Armada Invencível” e participou, em 1589, na expedição Drake-Norris, com o objetivo de fazer colocar no trono português D. António, Prior do Crato.

Em 1591, integrou uma armada de 22 navios, liderada por Sir John Hawkins, que se dirigia para a ilha das Flores, com o intuito de interceder e assaltar a frota espanhola, proveniente das Américas.

A Armada de guerra espanhola reagiu e Sir Richard Grenville, que capitaneava então o ‘HMS Revenge’, ordenou que o navio entrasse em combate solitário, sacrificando-se, de modo a permitir a fuga dos compatriotas.

Veio rebocado até à ilha Terceira, onde uma súbita tempestade o afundou.

Sydney Wignall e Baptista de Lima criaram a primeira equipa de arqueologia subaquática internacional em território português com vista a detetar os destroços.

Os trabalhos iniciaram-se em 1972, mas sem sucesso, no entanto, devido ao número de achados identificados, o Ministério da Educação e o Ministério da Marinha criaram a primeira reserva arqueológica subaquática portuguesa, a baía de Angra do Heroísmo, a 26 de fevereiro de 1973.

Patrick Baker, ao longo da sua carreira de mais de quatro décadas em fotografia relacionada com a arqueologia subaquática, tem vindo a acompanhar os trabalhos dos mais famosos arqueólogos subaquáticos do mundo, incluindo o seu atual projeto, com o coordenador do Departamento de Arqueologia Subaquática do Museu do Oeste da Austrália, Jeremy Green.

Considerado uma das maiores autoridades na área da fotografia técnica, afamado pelos seus planos panorâmicos, que revolucionaram a forma como os especialistas avaliam o potencial dos sítios arqueológicos em estudo, colaborou diretamente em projetos de escavação de alguns dos mais famosos naufrágios do mundo como os do ‘Mary Rose’, ‘Batavia’, ‘Pandora’ e ‘Bounty’, entre outros.

A Direção Regional da Cultura informa que este e outros eventos estão disponíveis para consulta na Agenda Cultural do Portal CulturAçores, no endereço eletrónico www.culturacores.azores.gov.pt.

Fonte: GaCS

Deixe um Comentário