Social
Fausto Brito e Abreu quer canalizar fundos do Horizonte 2020 para tecnologias espaciais e biotecnologia marinha nos Açores

Fausto Brito e Abreu quer canalizar fundos do Horizonte 2020 para tecnologias espaciais e biotecnologia marinha nos Açores

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia apontou hoje as tecnologias espaciais e a biotecnologia marinha como exemplos de áreas científicas “promissoras para o aproveitamento de fundos no âmbito do programa Horizonte 2020”.

Fausto Brito e Abreu, que falava, em Ponta Delgada, no seminário A Competitividade e o Crescimento da Economia Açoriana – Oportunidades no Quadro do Horizonte 2020, afirmou ter ficado impressionado com as instalações da Estação da Agência Espacial Europeia (ESA), da Estação de Monotorização de Satélites Galileu e do rádio telescópio da rede Rede Atlântica de Estações Geodinâmicas e Espaciais (REAGE), que visitou quinta-feira em Santa Maria, considerando que devem ser “bem aproveitadas pela comunidade científica”.

Para o Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, os Açores reúnem as condições ideais para desenvolver projetos científicos e oportunidades de negócio em tecnologias espaciais.

“Num mundo em que haverá mais satélites, mais lançamentos e problemas crescentes de lixo espacial, como ameaça a outros satélites comerciais, há espaço para investigação científica utilizando as infraestruturas existentes, através da criação de redes com outros estados-membros”, afirmou.

Para além das tecnologias espaciais, a biotecnologia marinha foi outra área apontada como importante para o desenvolvimento da Região e que pode beneficiar de apoios do programa Horizonte 2020.

O mar dos Açores tem particular diversidade, sendo o mar profundo uma das áreas com grande potencial de exploração para a biotecnologia marinha. Estamos próximos de zonas ainda muito pouco exploradas onde existem organismos, com genes que produzem proteínas que se conseguem manter funcionais a altas pressões e a altas temperaturas”, salientou Fausto Brito e Abreu, indicando aplicações possíveis nas indústrias alimentar, farmacêutica e de cosméticos.

“Temos centros de saber já estabelecidos aqui na Região que estão prontos para ser parceiros em redes que envolvam outros estados-membros e que possam beneficiar do quadro comunitário do Horizonte 2020″, assegurou o Secretário Regional.

Fonte: GaCS

Deixe um Comentário