Social
Legado da Volvo Ocean Race: Itajaí é a primeira cidade da América do Sul a assinar ocompromisso da ONU que visa a limpeza dos mares

Legado da Volvo Ocean Race: Itajaí é a primeira cidade da América do Sul a assinar ocompromisso da ONU que visa a limpeza dos mares

A cidade de Santa Catarina recebeu etapa latino-americana da Volvo Ocean Race neste mês de abril.

A cidade de Itajaí em Santa Catarina foi a primeira da América do Sul a assinar um compromisso das Nações Unidas que visa a limpeza dos mares. O objetivo da ação é reduzir a poluição do plástico nos oceanos, uma bandeira da Volvo Ocean Race e da ONU.

A carta foi assinada na tarde desta quarta-feira durante um seminário que reuniu especialistas, cientistas e atletas, como a brasileira Martine Grael, campeã olímpica e velejadora desta edição da regata de Volta ao Mundo.

‘’Eu velejo desde cedo e nas competições eu acompanho a situação dos mares. No Rio de Janeiro, onde eu treino, vejo plástico quase todos os dias na Baía de Guanabara e fiquei impressionada com a quantidade de plástico fora da costa durante a competição’’, disse Martine Grael, tripulante do team AkzoNobel.

Os números são alarmantes! Segundo dados da Volvo Ocean Race em paralelo com as Nações Unidas, um caminhão cheio de plástico é despejado nos oceanos a cada minuto.

E tem mais: oito milhões de toneladas de plástico, como garrafas, embalagens e outros tipos de lixo, entram nos mares a cada ano. Aproximadamente 51 trilhões de pedaços microscópios de plástico, pesando 269,000 toneladas.

Isso é quase a mesma coisa do que 1.345 baleias azuis adultas. É estimado que por volta de 2050, haverá mais plástico do que peixes nos oceanos do mundo. 

O prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni, decidiu inscrever-se na campanha da ONU depois de visitar a Nova Zelândia durante a escala da Volvo Ocean Race. Em Auckland, o governo da Nova Zelândia assinou a campanha também. Até agora, mais de 70.000 pessoas de 42 países comprometeram-se a reduzir o problema.

‘’Tenho orgulho de Itajaí ser a primeira cidade do Brasil a assinar a campanha do Meio Ambiente das Nações Unidas. Pretendemos enviar a mensagem clara de que é essencial tomar medidas para enfrentar o problema da poluição plástica. É uma luta que todos os municípios, cidades e das pessoas’’, contou o prefeito Morastoni ao lado de Fernanda Altoé Daltro, ativista-chefe do Meio Ambiente da ONU no Brasil.

Johan Salén, vice-presidente da Volvo Ocean Race, estava no evento e disse que Itajaí mostra espirito de liderança. ‘’Pelo facto de indivíduos, empresas, ONGs, governos e cidades como Itajaí, trabalharem juntos, poderemos encontrar soluções inovadoras para educar, inovar e deixar um legado duradouro que ajudará a resolver o problema do plástico’’.

Silvia Mirpuri da Fundação Mirpuri, parceira principal do Programa de Sustentabilidade da Volvo Ocean Race, também falou no evento. ‘’Durante séculos, as pessoas têm considerado o oceano como uma fonte inesgotável de comida, e um local de despejo, muito vasto para ser afetado por qualquer coisa que fazemos. Nós estamos errados’’.

O Brasil assinou a campanha CleanSeas da ONU em setembro de 2017. O projeto também é apoiado pela equipe de regata Turn the Tide on Plastic na volvo Ocean Race.

Foto: ©Marcos Porto/Itajai City Hall Ph

Autor: Volvo Ocean Race / APEDA

Deixe um Comentário