Social
Açores participam em Fórum de Cooperação Marítima da China

Açores participam em Fórum de Cooperação Marítima da China

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia afirmou, em Xiamen, num encontro onde apresentou as áreas prioritárias de desenvolvimento da Região no domínio da economia do mar, que “os Açores são uma região atrativa para a cooperação científica com a China e para a partilha de melhores práticas na gestão dos oceanos”.

“A China é uma nação marítima que investe muito em investigação científica e tem uma visão estratégica sobre os assuntos do mar com muitos pontos complementares com a política marítima integrada da União Europeia”, salientou Fausto Brito e Abreu, à margem do Fórum de Cooperação Marítima entre a China e os Países do Sul da Europa, subordinado ao tema ‘Promover a cooperação marítima, Construir conjuntamente o sonho azul’.

O Secretário Regional do Mar, que participou neste fórum a convite da tutela dos assuntos do mar da República Popular da China, apresentou as áreas prioritárias de desenvolvimento da Região nos domínios da economia do mar, nomeadamente a aquacultura, a biotecnologia marinha, a investigação científica ligada aos oceanos, bem como, no futuro, a exploração dos minerais dos fundos submarinos.

“São áreas que estão perfeitamente alinhadas com a estratégia europeia para o ‘crescimento azul’ e são muito semelhantes aos interesses estratégicos da China nestes domínios”, disse Brito e Abreu, acrescentando “que os contactos realizados podem resultar em parcerias diretas e projetos concretos, por exemplo, com a Universidade dos Açores”.

“Uma das prioridades do Governo dos Açores tem sido a aposta no desenvolvimento de novas atividades da economia do mar”, afirmou, lembrando iniciativas como o estudo do mapeamento de zonas com potencial para aquacultura no arquipélago, que será disponibilizado gratuitamente aos investidores interessados.

Para além deste estudo, o Secretário Regional do Mar destacou também na sua intervenção neste fórum um pacote de incentivos para o desenvolvimento desta atividade na Região, que inclui um sistema de apoios a projetos de investigação científica em contexto empresarial, que abrange a aquacultura, e que estará disponível até ao final do ano, e um quadro de benefícios fiscais em regime contratual, que prevê vantagens específicas no caso de projetos de investimento em aquacultura.

Na área da biotecnologia marinha, o governante afirmou que o Executivo Açoriano pretende atrair investidores através de um quadro fiscal favorável para empresas que criem postos de trabalho na Região, bem como um quadro jurídico adequado, incluindo legislação pioneira sobre acesso e partilha de benefícios dos recursos genéticos.

Brito e Abreu salientou também que os Açores têm apostado na investigação científica dirigida ao mar, frisando o trabalho que tem sido desenvolvido pelo IMAR/DOP, que considerou ser “um centro de investigação que está no ‘top 20’ mundial em publicações sobre mar profundo”.

Para além das novas áreas da economia do mar, o Secretário Regional destacou a qualidade do peixe açoriano, que é “pescado de uma forma artesanal e sustentável”, e as conservas, que têm potencial para exportação para a China.

O Fórum de Cooperação Marítima entre a China e os Países do Sul da Europa, organizado pela Administração Estatal Oceânica da República Popular da China, abordou temas como ‘Ciência e a Tecnologia Marinhas’, ‘Conservação Ambiental Marinha’ e ‘Economia do Mar e o Ordenamento Marítimo’.

O evento, que contou com a participação de representantes da Comissão Europeia e de seis países europeus, nomeadamente Chipre, Malta, Portugal, Grécia, Itália e Espanha, pretende funcionar como uma plataforma de cooperação entre os países participantes.

Fonte: GaCS

Deixe um Comentário