Social
Entrevista a Maria de Fátima Garcia, pescadora do Faial

Entrevista a Maria de Fátima Garcia, pescadora do Faial

Maria de Fátima Garcia é uma mulher da pesca natural da ilha do Faial, é pescadora há já alguns anos. No ano de 2000 tirou a cédula marítima e anos depois arrais de pesca e arrais costeiro.

Fátima Garcia tem 4 filhos/as, nenhum/a está ligado/a à pesca em termos profissionais, apesar de gostarem de ir para o mar. O sustento da sua família provém do suor e da luta constante inerente à vida na pesca, às suas idas e vindas do mar com o seu marido.

Fátima Garcia referiu que inicialmente alguns homens ficavam um pouco duvidosos ao ver que ela ia para o mar mas ela desde o inicio sempre impôs respeito mostrando que tinha capacidade e sabia fazer exactamente as mesmas coisas que os homens.

Quanto à situação do sector piscatório Fátima Garcia sente uma grande tristeza ao ver que o pescado e os/as pescadores/as não estão a ter o devido valor. O peixe é vendido na lota a um preço muito baixo oscilando de uma forma inacreditável.

Relativamente à Ilhas em Rede, associação da qual tem sido Presidente função que passou agora a ser assumida por Maria Lurdes Lopes, Fátima Garcia vê com muito orgulho o crescimento desta associação.

 A valorização do trabalho das mulheres na pesca é muito importante: Desde que a associação foi criada que há um maior reconhecimento por parte das autoridades e entidades, e neste sentido, um maior progresso, as mulheres já não ficam na sombra, gostam de mostrar o seu interesse, questões e dúvidas em matérias da pesca.

Segundo Fátima Garcia o facto de a Ilhas em Rede integrar o Conselho Consultivo Regional do Sul (CCR-Sul) é essencial para o conhecimento da realidade da pesca na Europa.

Apesar da distância e das diferenças geográficas existe muito de comum na pesca artesanal em diferentes países, como dificuldades, limitações e progressos.

Fonte: Ilhas em Rede

Foto de Joana Medeiros

5 Comentários neste artigo

  1. blank

    Ainda bem que existem mulheres assim, mas esta entrevista já é muito desatualizada.
    Acho que os profissionais de pesca são muito apoiados….. já não posso dizer o mesmo….

    Responder
  2. blank
    eduino ferreira

    podem comentar o que bem entenderem,eu já a vi há pesca do cherne e outras especes,como na lota ,separando o pescado,sim avia de ter muitas fatimas na pesca.dásse ovalor a quem o tem e nao o craticar, obrigado

    Responder
  3. blank

    ……VOU DEIXAR QUE OUTROS COMENTEM…………………

    Responder
  4. blank
    Pesca à Rasca

    É um facto que esta entrevista já foi dada às 2 meses. Sinceramente não vejo o que esta entrevista tem de desactualizado em relação à pesca…e não só….
    Para mim só vem demonstrar mais uma vez que existe mulheres na pesca entendedoras do assunto. Algo que deve ser valorizado!
    No entanto fiquei curiosa quanto à sua afirmação de que desde então, muita coisa mudou na pesca e no “não só” eheheh se pudesse desenvolver…

    Obrigada e saudações

    Responder
  5. blank

    …..AO TEMPO QUE FOI DADA ESTA ENTREVISTA(+ DE 2 MESES)..JÁ MUDOU MUITA COISA……….NA PESCA………..E NÃO SÓ…………….

    Responder

Deixe um Comentário