Social
FOR-MAR – Centro de Formação Profissional das Pescas e do Mar com taxa de empregabilidade na ordem dos 50%

FOR-MAR – Centro de Formação Profissional das Pescas e do Mar com taxa de empregabilidade na ordem dos 50%

Segundo «os últimos dados recolhidos da aplicação de questionários de validação da formação aos ex-formandos em Novembro de 2013, a taxa de empregabilidade no sector marítimo ronda os 50%».

Com efeito, «o FOR-MAR fez, nos últimos anos, um esforço muito significativo no sentido de ir ao encontro das necessidades de formação e certificação dos agentes do sector, ao nível da qualificação, reconversão profissional ou aperfeiçoamento», segundo afirmou Eduardo Fonseca, Director do FOR-MAR, Centro de Formação Profissional das Pescas e do Mar.

«Em 2013 apontou como um dos principais objectivos a constituição de parcerias estratégicas com o intuito de reforçar o conhecimento e a ligação da estrutura deste Centro de Formação com o tecido empresarial a nível local, regional e nacional, o que resultou num aumento muito significativo da sua actividade formativa.» Já «no ano de 2013, o FOR-MAR ministrou 411 acções de formação a um universo de 7764 formandos, com um volume de formação de 790 563 horas. Em 2014 e até Julho, o FOR-MAR ministrou 192 acções de formação a um universo de 3958 formandos, com um volume de formação de 611 829 horas.»

Por outro lado, o FOR-MAR «participou de forma activa na elaboração do novo projecto de Regulamentação da Actividade Marítima (alteração ao decreto-lei 280/2001 de 23 de Outubro) coordenado pela Secretaria de Estado do Mar, com a apresentação de uma proposta inovadora ao nível da classificação dos marítimos, requisitos de acesso à profissão e progressão na carreira, que permitiria: a flexibilização do exercício nos diferentes tipos de navegação; a polivalência funcional nas áreas de convés e máquinas nos primeiros níveis de marinhagem e na área de navegação; e a simplificação da estrutura das carreiras de mestrança e marinhagem, com integração de diferentes perfis funcionais».

O FOR-MAR desenvolveu ainda «em articulação com a Secretaria de Estado do Mar, um conjunto de novos perfis profissionais na área da economia do mar, tendo por base as áreas prementes identificadas no estudo “O Hypercluster da Economia do Mar”. Estes novos perfis, de nível secundário, foram desenvolvidos com o intuito de “aproximar” os jovens do mar, dando-lhes uma dupla qualificação: escolar e profissional.» As áreas abarcadas são as seguintes: Serviços Marítimos e Portuários; Construção e Mecânica Naval; Aquicultura e Recursos Marinhos Vivos; Indústrias Agroalimentares (vertente pescado); Infra-estruturasOffshore; e Turismo Náutico e Ambiental.

Espera-se até ao final do primeiro semestre de 2015 e em articulação com a ANQEP a conclusão de toda esta oferta formativa, o que virá responder de forma muito significativa às necessidades identificadas no estudo.

Um dos objectivos estratégicos do FOR-MAR para 2014 foi a implementação do Sistema de Gestão da Qualidade ao abrigo da Norma ISO 9001:2008. Em Agosto do corrente ano o FOR-MAR atingiu este objectivo com muito sucesso, encontrando-se certificado no âmbito deste sistema. Esta certificação constituirá um elemento de referência como garantia de qualidade na educação e formação no sector marítimo, respondendo designadamente aos critérios definidos no âmbito das convenções internacionais sobre a formação e certificação dos marítimos.»

Efectivamente, «todos os projectos em que o FOR-MAR tem estado envolvido serão determinantes para que a qualificação dos jovens e profissionais em todos os sectores da economia possa ter uma significativa valorização no curto prazo, cumprindo os mais altos níveis de exigência, quer no plano nacional, quer no plano internacional», sublinhou Eduardo Fonseca.

Imagem11

Fonte: Jornal da Economia do Mar

Deixe um Comentário