Social
Investigadores dos Açores e China reunidos na Horta para estabelecer cooperação em ciências marinhas

Investigadores dos Açores e China reunidos na Horta para estabelecer cooperação em ciências marinhas

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia destacou hoje, na Horta, a importância da Universidade dos Açores “estabelecer parcerias com instituições de investigação de nações marítimas em áreas de interesse comum”, nomeadamente em Ciências do Mar.

Fausto Brito e Abreu falava na abertura do workshop de cooperação científica entre os Açores e a China na área das Ciências do Mar, organizado pelo Governo Regional, que conta com a participação de cerca de duas dezenas de investigadores do 2.º e do 3.º institutos de Oceanografia da Administração Estatal Oceânica da China e de investigadores de vários departamentos da Universidade dos Açores.

Na sua intervenção, o Secretário Regional do Mar salientou que esta reunião científica tem um enfoque em “áreas de interesse comum para Portugal e para a China”, nomeadamente o estudo de ecossistemas do mar profundo, pescas, aquacultura, deteção remota e estudos de oceanografia através de satélite, biotecnologia marinha, ordenamento do espaço marítimo e gestão integrada de zonas costeiras.

“Estas são algumas áreas que estão enquadradas no desenvolvimento de políticas regionais para a Ciência”, afirmou Brito e Abreu, salientando o apoio que o Governo dos Açores tem dado à organização de eventos científicos internacionais no arquipélago.

Brito e Abreu sublinhou a necessidade de se realizarem mais intercâmbios científicos para a partilha de conhecimento e de experiências entre investigadores de diferentes instituições, referindo que os institutos de oceanografia chineses estão a desenvolver projetos que se podem articular com estudos realizados pela Universidade dos Açores.

O titular da pasta do Mar considerou que “a exploração de minerais dos fundos submarinos vai ser uma realidade nas próximas décadas nos Açores”, acrescentando, nesse sentido, que “o estudo dos impactos ambientais que esta atividade económica pode ter em ecossistemas vulneráveis é seguramente útil para China e para Portugal, bem como para outras grandes nações marítimas com quem temos intercâmbios, nomeadamente Noruega, Canadá, Estados Unidos e Brasil”.

Este workshop de cooperação científica, que decorre até terça-feira no Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores, surge na sequência da visita aos Açores, em junho de 2015, de uma delegação da Administração Estatal Oceânica da República Popular da China, bem como da participação do Secretário Regional do Mar, em novembro de 2015, no Fórum de Cooperação Marítima entre a China e os Países do Sul da Europa, em Xiamen.

Fonte: GaCS

Deixe um Comentário