Social
LPN diz que áreas protegidas marinhas e costeiras “estão a saque”

LPN diz que áreas protegidas marinhas e costeiras “estão a saque”

O Estado não tem capacidade para fiscalizar as actividades ilegais nas áreas protegidas marinhas e costeiras, sítios que “estão a saque”, diz a Liga para a Protecção da Natureza (LPN), no Dia Nacional do Mar.

A presidente da LPN, Alexandra Cunha, lamenta que continuem a ser praticadas naquelas áreas protegidas actividades proibidas por lei, que podem ameaçar a conservação dos ecossistemas. “Há pesca com rede dentro da Ria Formosa, e é proibido; há pesca nas zonas de protecção total da Arrábida, que é proibido”, disse à agência Lusa. “Não há fiscalização” e os planos de ordenamento não estão implementados no terreno”, resumiu.

“O Estado não está a ter capacidade de fiscalizar e de fazer vigilância”. E com a crise a situação tende a piorar, defende, alegando que “as pessoas estão aflitas” e socorrem-se de todas as formas que podem para melhorar o seu rendimento. 

O objectivo das regras inerentes às zonas protegidas é a preservação dos ecossistemas e dos recursos pesqueiros para o futuro, “o que não está a acontecer”, frisou Alexandra Cunha. 

Nestes casos de incumprimento das regras, “não pode ser só o ICNB [Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade] a fazer vigilância, tem de ser a Polícia Marítima e o SEPNA [serviço de protecção da natureza da GNR]. Tem de haver meios, até porque muita desta pesca é feita à noite”, especificou. 

Alexandra Cunha admitiu que “a educação e sensibilização dos pescadores não chegam, infelizmente [a atitude] tem de ser coerciva”. 

A especialista apontou o facto de este ano, apesar dos muitos eventos marcados no Dia Nacional do Mar, se falar “muito pouco” sobre a importância de conservar a zona marinha, destacando-se mais a análise económica do mar.

Fonte: Público

6 Comentários neste artigo

  1. blank

    Muito bem Sr.J.

    Responder
  2. blank

    Porquê a não utilização do AIS como fiscalização!? Implementando leis e incentivos para a sua instalação nos barcos de pesca!?…n percebo,toda gente em todo o mundo utiliza este sistema e nós continuamos c a treta das caixas monicap…a unica razão q justifique esta opção é estarmos perto de Africa e sem menosprezar esse belo Continente..temos que nos limitar ao nível deles…o mais atrasados possíveis…a sério alguém me responda PORQUÊ!?

    Responder
  3. blank
    zé pescador

    SE NÃO HÁ CONDIÇÕES PARA AS FAZER CUMPRIR E PRINCIPALMENTE A POPULAÇÃO NÃO TEM CONDIÇÕES DE AS PODER CUMPRIR POR FAVOR NÃO FAÇÃO LEIS.

    Responder
  4. blank
    zé pescador

    EU ACHO QUE O PROBLEMA É QUE AS LEIS EM PORTUGAL FAZEM-SE PARA NÃO SEREM CUMPRIDAS .E QUEM SE LIXA É O ZÉ.

    Responder
  5. blank
    josé aperta o laço

    Srº. Pescador Preocupado
    Não quero deixa-lo muito preocupado mas com o que aqui lemos devemos ficar preocupados lá diz o ditado quando vires as barbas do teu vizinho a arder põe as tuas de molho está-se mesmo a ver o que vai acontecer a não ser que os super dotados em ideias formidáveis para as pescas em vez de porem uma estação costeira em cada ilha ou em cada barco como faziam questão ponham um polícia em cada barco.

    Responder
  6. blank
    Pescador Preocupado

    O governo quer e o imposto do dinheiro que os pescadores fazem com a venda do peixe, se o peixe e capturado de forma legal ou não isso não lhes interessa.A isso chama-se gestão entrar mais dinheiro do que sai por ex: na fiscalização pois para fiscalizar têm que gastar em horas extraordinárias; subsídios nocturnos etc…Depois logo se vê no que da.

    Responder

Deixe um Comentário