Social
Polvo-de-véu gelatinoso (Tremoctopus gelatus): primeira vez nos Açores

Polvo-de-véu gelatinoso (Tremoctopus gelatus): primeira vez nos Açores

Ocorrência:
A meio da tarde do dia 5 de junho de 2015, mestre José Pedro, da embarcação “Coral da Horta”, quando estava atracado no molhe principal do porto da Horta, viu o que lhe pareceu ser um pedaço de plástico por cima de água. Reparou pouco depois que o objeto se movimentava de forma lenta, percebendo então que se assemelhava a um polvo com os braços abertos a nadar à superfície, tendo conseguido fotografá-lo com o telemóvel. O animal conseguiu afundar até tocar no fundo no porto, regressando à superfície pouco tempo depois, com os braços estendidos e largando tinta. Victor Rosa, da empresa Portos dos Açores, também assistiu ao evento e fotografou o polvo com o telemóvel (Foto 1), tendo comunicado a ocorrência ao Aquário de Porto Pim (Rui Guedes). Pouco depois o polvo foi apanhado com um camaroeiro e levado para o Aquário, tendo também sido fotografado. Estimou-se o seu tamanho em 13 cm de comprimento dorsal do manto e 66 cm de comprimento total (Foto 2). Numa identificação preliminar, a partir de fotografia, pareceu tratar-se de uma fêmea pequena de polvo-de-véu púrpura (Tremoctopus violaceus). Sobreviveu apenas durante três dias em cativeiro, durante os quais nunca se alimentou, tendo sido posteriormente congelado para futura identificação.

 

polvo2Ampliada

Foto 1. Polvo-de-véu gelatinoso (Tremoctopus gelatus) fotografado em 05/06/2015, vivo à superfície, junto cais mercadorias do porto da Horta (Faial). Para além do véu que liga os 4 braços dorsais, é possível ver (lado esquerdo da foto) os braços ventrais (4º par) muito esticados, com 2 fiadas de ventosas perpendiculares. Foto (telemóvel): Vitor Rosa (Portos dos Açores, SA).

IMG_1727ampliada

Foto 2. Mesmo indivíduo da foto 1 vivo dentro do balde de transporte para o Aquário. As setas brancas indicam os poros aquíferos típicos dos polvos pelágicos. Foto: Gonçalo Graça (Aquário de Porto Pim).

IMG_3022

Foto 3. Mesmo indivíduo depois de descongelado, podendo-se observar o aspeto gelatinoso típico desta espécie. Foto: Piero Amodio.

 

Identificação:
O animal foi descongelado no dia 25 de junho de 2015, identificado e medido no DOP. Tinha uma consistência muito gelatinosa, diferente dos polvos-de-véu púrpura que têm o corpo mais rijo. A contagem do número de lamelas branquiais (8 a 10) é também inferior à da última espécie, permitindo identificar o indivíduo como sendo um polvo-de-véu gelatinoso (Tremoctopus gelatus), com 45 cm de comprimento total, 9,5 cm de comprimento dorsal do manto, e 293 g de peso (com a congelação estes animais gelatinosos desidratam e encolhem). O animal foi fotografado (Foto 3), conservado em formol e posteriormente em álcool, passando a fazer parte da coleção de referência.

Distribuição e Biologia:
Tremoctopus gelatus foi descrito pela primeira vez em 1977 com base em exemplares encontrados em anos anteriores na Florida1. É uma das 4 espécies de polvos-de-véu que existem a nível mundial. A maior parte das ocorrências está limitada ao Atlântico NW (Florida), havendo também alguns registos esporádicos no Pacífico (Havai) e no Índico (Madagáscar)2.
É uma espécie mesopelágica de oceano aberto, da qual pouco se sabe, suspeitando-se que tenha ampla distribuição mundial por todos os oceanos. As fêmeas podem atingir os 33 cm de comprimento dorsal do manto.
Em todas as espécies de polvos-de-véu os machos são anões comparativamente às fêmeas, raramente ultrapassando os 3 cm de comprimento total.

Considerações finais:
Esta ocorrência constitui o primeiro registo para esta espécie nos Açores e para o Atlântico NE. Muito provavelmente as fotografias do animal vivo são as primeiras que existem a nível mundial.
 Curiosamente no dia 10 de julho de 2015 foi avistado outro exemplar de um polvo-de-véu (Tremoctopus sp.) no interior do porto da Horta ao final da tarde pelo investigador Telmo Morato. Contudo, o animal acabou por desaparecer e as fotografias tiradas com telemóvel foram insuficientes para identificar a espécie.

Para Saber Mais:
IUCN  (Tremoctopus gelatus)
Marine Species Portal  (Tremoctopus gelatus)
Tree of Life (Tremoctopus)

Agradecimentos:
Aos Srs. José Pedro e Vitor Rosa, pela comunicação da ocorrência e cedência de fotos. Ao Rui Guedes, Gonçalo Graça e Telmo Morato pela oferta do exemplar e cedência de fotografias. Ao Piero Amodio, Sílvio Solleliet-Ferreira e Dominique Stalder que colaboraram na amostragem laboratorial. Marcos Carreiro fez o processamento das fotografias dos telemóveis.

Referências:
1. Thomas, R., 1977. Systematics, distribution, and biology of cephalopods of the genus Tremoctopus (Octopoda: Tremoctopodidae). Bull. Mar. Sci., 27(3): 371-378.
2. Finn, J.K., 2014. Family Tremoctopodidae. In: P. Jereb et al. (Eds), Cephalopods of the World. An annotated and illustrated catalogue of cephalopod species known to date. Volume 3. Octopods and Vampire Squids. FAO Species Catalogue for Fishery Purposes. No. 4, Vol. 3. Rome, FAO. pp. 240-243.

Publicada por João M. Gonçalves / Achados do Mar dos Açores

 

Deixe um Comentário