Social
À espera que a Volvo Ocean Race dê a Volta ao Mundo

À espera que a Volvo Ocean Race dê a Volta ao Mundo

1114589

Apesar de só parar em Portugal em 2015, a 12ª edição da Volvo Ocean Race já está na água! Nos últimos dias de maio, os veleiros passam por Lisboa e tornam-se por alguns dias a principal atração da cidade. Em 2012, atraíram à Doca de Pedrouços, em Algés, mais de 200 mil visitantes.

A maior e mais prestigiada regata à volta do mundo, discutida entre sete embarcações ao longo de nove meses, arrancou em Alicante, Espanha, e irá terminar em junho de 2015 em Gotemburgo, na Suécia.

Ao contrário das anteriores edições, todas as equipas competem em igualdade de circunstâncias, ou seja, a bordo de um Volvo Ocean 65, um barco concebido propositadamente para as duas próximas edições pela conceituada Farr Yacht Design e construído por um consórcio de quatro estaleiros. Por outras palavras, ganhará quem melhor mão tiver para dominar este “one-design” nos oceanos.

Entre as sete equipas, destaque para o Team SCA, 100% feminino, algo que já não se verificava na prova desde 2001/02. Entre os skippers, Ian Walker volta a dominar as atenções: vencedor de duas medalhas de ouro olímpicas, o “timoneiro” britânico vai estar ao leme do Abu Dhabi Ocean Racing.

De outubro de 2014 a junho de 2015, os sete Volvo Ocean 65 percorrem 38.739 milhas náuticas. Com partida em Alicante, a frota viajou para a Cidade do Cabo (África do Sul), seguindo-se Abu Dhabi (EAU), Sanya (China), Auckland (Nova Zelândia), Itajaí (Brasil), Newport (EUA), Lisboa (Portugal), Lorient (França) e uma paragem técnica de apenas 24 horas, a chamada “pit-stop”, em The Hague, na Holanda, antes da final em Gotemburgo (Suécia).

 

UM PORTUGUÊS EM SETE EQUIPAS
A bordo de cada embarcação estão oito velejadores (11 no caso da equipa feminina) – dois têm de ter obrigatoriamente menos de 30 anos – e um repórter de bordo que não tem qualquer função desportiva. No total dos sete veleiros em competição, são 66 os tripulantes, representando 18 nacionalidades diferentes. Renato Conte é o único português em prova, sendo o elo de ligação da Mapfre aos construtores do barco.

 

“LIVE” 24/24 HORAS
O repórter de bordo tem como função registar toda a vida no barco, estabelecer contacto via satélite, produzir vídeos, tirar fotografias e alimentar as notícias em terra. Com o veleiro apetrechado de raiz com câmaras à prova de água, microcâmaras, rádios, microfones e tecnologia de última geração, o repórter de bordo é ainda responsável pelo dispositivo LIVE, em que toda a ação a decorrer no barco é transmitida em tempo real para o estúdio de produção de conteúdos a funcionar, pela primeira vez, 24 sob 24 horas.

 

UM BARCO DO TAMANHO DE UM CAMPO DE PADEL
O Volvo Ocean 65, ou Volvo One-Design, é um veleiro de 20,70 metros de comprimento de casco – o mesmo que um campo de padel – e 10,75 toneladas de peso (o anterior Volvo Open 70 pesava 14 toneladas), entregue a cada uma das equipas pronto a velejar. A ideia passa por dar igualdade de condições técnicas a todas as equipas, fazendo a diferença a perícia humana. Além de equipado com tecnologia de ponta e de atingir velocidades na ordem dos 83 km/hora, cada um dos barcos tem mais de 30 km de cabos a bordo.

 

RACE VILLAGE: O MAIS “IN” DOS LOCAIS
Nos dez portos onde as embarcações ficam por alguns dias, denominados “stopovers”, vai estar montado o “The Boatyard”, a oficina geral das embarcações para reparos e manutenção dos veleiros. Durante os dias em que as tripulações estão na “Race Village”, área destinada a apoiar o evento, os velejadores desdobram-se em entrevistas, compromissos profissionais e recebem ilustres visitas, como aconteceu na última edição em Lisboa, onde estiveram presentes o então príncipe e atual rei de Espanha, Filipe VI, os futebolistas Luís Figo e Sá Pinto, entre muitos outros.

 

CURIOSIDADES DA VIDA A BORDO
Os velejadores usam toalhitas ou aproveitam a chuva para tomar banho durante os dias em alto-mar.

Cada tripulante só tem uma muda de roupa: um equipamento para temperaturas polares e outro para os dias de maior calor.

A alimentação é liofilizada. Cada um dos velejadores consome uma média de 5000 calorias por dia, o equivalente a 12 bifes.

Vitaminas: cada tripulante ingere mais de 20 comprimidos por dia.

Fonte: O Jogo

Deixe um Comentário