Social
Número de pescadores aumentou 94% desde 2001, o que leva valor per capita a manter-se baixo

Número de pescadores aumentou 94% desde 2001, o que leva valor per capita a manter-se baixo

O ano de 2010 foi um ano excelente para a pesca açoriana, com um valor quase recorde de receita conseguida pelo sector. Pelo menos é isso que a Estatística oficial diz – no caso, a publicação Estatísticas das Pescas 2010, do INE. Os Açores geraram com a pesca em 2010 cerca de 36,7 milhões de euros, o que representa um aumento de 28% em relação a 2009. Boa parte dessa evolução deveu-se ao aumento de 278% das capturas de atum, o que lhe fez baixar o preço e resultar num aumento do valor geral de apenas 178%. Mas houve uma entrada de dinheiro real.

Em 2009, o sector das pescas açoriano representava 7% do nacional em termos de capturas, passando para 12,6% em 2010. E ao nível do seu valor, passou de 15% em 2009 para 18,7% em 2010. No terreno, no entanto, esta riqueza parece ser apenas isso mesmo: aparência. A esmagadora maioria dos pescadores das ilhas queixa-se de auferir baixíssimos rendimentos e grande parte deles vive em grande pobreza, apenas sobrevivendo graças a apoios governamentais. Nem parece ser apenas uma questão de preço. O peixe açoriano foi vendido a uma média de 2 euros por quilo este ano, o que reflecte o baixo preço do atum, ficando a média geral abaixo da Madeira (que foi de 2,30 euros). Mas mesmo assim muito acima dos 1,35 euros da média nacional. Aliás, em 2009, a média tinha sido muito superior, atingindo os 3,2 euros por quilo (2,2 na Madeira e 1,5 no país). Um dos problemas parece residir claramente no número de pescadores que existem na Região. Segundo o INE, os Açores tinham em Dezembro de 2010 um total de 2.697 pescadores, o que representa uma redução de 2,3% em relação aos 2.759 de um ano antes. Mas na realidade é um valor ainda muito elevado. Com 15,9% dos pescadores nacionais e 18,7% da receita, não deveria haver propriamente um problema. Mas a realidade é que enquanto que na Madeira a média capturada dá 27,7 mil euros por pescador, e no continente 16 mil euros, nos Açores a média baixa para 14,6 mil euros. Por outras palavras: caso o número de pescadores baixasse, o seu rendimento provavelmente aumentaria. A evolução dos últimos 10 anos não deixa margem para erro. A publicação do INE tem os dados da população que trabalhava nas pescas em 2001 e o número de pescadores matriculados em Dezembro de 2010. O resultado é que a nível nacional houve um aumento de 5,4%, na Madeira uma redução de -51%, e nos Açores um aumento de 93,7% – portanto, quase o dobro. Ou seja, o investimento na tecnologia não foi acompanhado por uma redução do número de efectivos, o que seria natural.

Fonte: Diário dos Açores

2 Comentários neste artigo

  1. blank
    Ze´ Pescador

    E os Espanhoes tabem conta

    Responder
  2. blank

    Na Madeira são 27,7 mil euros p/pescador no Continente são 16 mil e nos Açores são 14 mil e tal…È extraordinário do que a estatistica é capaz, não é verdade? Por exemplo: Há duas pessoas, uma delas com dois pães e outra sem nenhum pão e a ESTATÍSTICA diz que há um pão por pessoa…?

    Responder

Deixe um Comentário