Social

Pesqueiro “Ana da Quinta” desaparecido desde ontem de manhã ao largo das Flores

Um pesqueiro de Vila Praia de Âncora deixou de comunicar ontem de manhã a 150 quilómetros das Flores. Tem 9 pescadores a bordo.

A corveta da Marinha já está a caminho do local, bem como meios aéreos, revelou à Antena 1 Açores o tenente António Vicente, do Centro Coordenador de Busca e Salvamento de Ponta Delgada:

– “Fomos notificados de que a embarcação de pesca Ana da Quinta, de um armador continental, estava na área dos Açores, Estava com outra embarcação, do mesmo armador. Eles iam mantendo comunicações entre si e deixou de comunicar ontem por volta das 9 da manhã. A corveta já saiu e navega para essa área, e o meio aéreo também já se encontra na zona“.

O dispositivo de busca e salvamento segue para a última posição conhecida da embarcação e vai procurar encontrá-los a partir dai.

Fonte: RTP Açores

5 Comentários neste artigo

  1. blank

    Senhor Jorge para comprar aparelhos vais avancados e prexixo dinheiro e a sectretaria a si e que da lhe tudo porque e do faial e prentece a assusiancao do faial o que a aconteceu a embarcacao ANA DA QUINTA e por culpa do governo que nao ajuda as pescadores e a nessecidade obriga a lutar mais pela vida. dejeijo que os outros 8 homens estajam bem

    Responder
  2. blank
    Jorge Gonçalves

    Srº. Paulo Pimentel, é com muito agrado que registo as suas amáveis palavras. Perante o actual cenário passados 5 dias do acidente julgo que pouco ou nada mais se pode fazer, e depois da jangada ter sido encontrada sem nenhum tripulante a bordo, só nos resta como diz, e muito bem, uma palavra de conforto a todos os Familiares que estão nesta altura com o peito muito apertado, referente ao naufrágio da embarcação Ana da Quinta.
    O Senhor toca em alguns pontos cruciais, temos que ter os equipamentos que são exigidos por lei para as nossas embarcações, todos os que refere são importantes, mas existem outros que também são importantes e que não são obrigatórios, algumas pessoas não os montão porque não os acham importante, decorando a sua própria segurança, mas quando à uma desgraça a culpa é sempre dos outros e assiste-se, muitas vezes a espectáculos tristes, quando deveriam investir mais na sua segurança, mas como, dou como exemplo: quando se assiste a uma resistência tão grande em envergar o colete de salva vidas, pouco mais à a dizer. Para concluir digo-lhe que recentemente vi uma jangada sem disparador hidrostático e amarrada com cabos, por isso julgo que a manutenção é muito importante assim como a montagem.
    Para terminar não se esqueçam “que à mar e mar à ir e voltar.

    Responder
  3. blank
    Paulo Pimentel

    Deixo aqui uma palavara de conforto e todos os familiares dos pescadores da embarcação Ana da Quinta.
    Quero também dizer a todos os homens do mar, que na minha opinião, e muito importante ter em atenção a sua segurança no mar. Um pequeno envestimento, pode marcar a diferença em ser socorrido em caso de acidente. Um equipamento de VHF com uma boa antena, de forma que possa ser ouvida a sua comunicação, uma Epirb, uma balsa sao equipamentos importantes para ter a bordo. Não esqueçer também a manutenção dos mesmos, nada servem se não funcionarem de forma correta.
    A todos os homens do mar desejo uma boa viagem e um bom regresso.

    Responder
  4. blank
    Jorge Gonçalves

    Homens do Mar, as noticias de hoje, vindas da zona do desaparecimento do Ana da Quinta, não são muito encorajadoras, mas vamos esperar que estejam dentre da jangada e todos bem, são os nossos desejos, mais uma vez a estação Porto de abrigo esteve envolvida nas comunicações naquela zona , porque a estação Radio Naval da Horta não ter capacidade em VHF de la chegar, mais uma vez bem ajam pelo trabalho que vão prestando a quem circula nos mares dos Açores.

    Responder
  5. blank
    Jorge Gonçalves

    Espermes que não seja nada de especial, seja só uma falha de comunicações ou de energia, esperar que os serviços de busca e savamento fação o seu trabalho, como é seu apanagio e que estejam todos bem nós que andamos no mar sabemos o quanto por vezes estas situações são dificeis.

    Responder

Deixe um Comentário