Social
Cerca de 100 países discutem alargamento de áreas marinhas protegidas

Cerca de 100 países discutem alargamento de áreas marinhas protegidas

Representantes de cerca de 100 países reuniram-se durante a passada semana em França numa tentativa de reanimar esforços para que até 2020 pelo menos 10% dos oceanos e zonas costeiras sejam declarados área protegidas, contra os atuais 3%.

O 3.º Congresso Internacional sobre Áreas Marinha Protegidas reúne entre hoje e sexta-feira em Marselha, sul de França, especialistas e representantes governamentais de uma centena de países, em preparação para uma cimeira ministerial de cerca de 30 países a realizar durante o fim-de-semana em Ajaccio, capital da ilha francesa da Córsega.

De acordo com informação divulgada pelo Ministério do Ambiente francês, da cimeira ministerial “poderão sair anúncios sobre a criação de novas áreas marinhas protegidas”.

O ministério francês, que organiza o congresso, adiantou em comunicado que à taxa atual de criação de áreas protegidas, o objetivo global dos 10%, definido há três anos, “demorará um século a alcançar” e defendeu a necessidade de acelerar o processo.

O congresso irá também debater o estatuto legal das águas oceânicas consideradas “alto mar”, que corresponde a mais de 60% da superfície dos oceanos e a cerca de metade da superfície do planeta, mas está aberta, por falta de enquadramento legal, a todo o tipo de práticas nocivas e insustentáveis, desde atos de poluição a pesca destrutiva.

Os oceanos cobrem cerca de três quartos da superfície da Terra e geram cerca de metade do oxigénio do planeta, mas relatórios científicos internacionais indicam que a degradação dos oceanos, através da subida da temperatura, acidificação das águas e perda de oxigénio, está a ser mais acelerada que o estimado anteriormente.

Um estudo publicado em 16 de outubro na revista científica PLOS Biology, que teve a participação da portuguesa Teresa Amaro, do Instituto Norueguês de Investigação da Água, indica que “entre 470 e 870 milhões de pessoas pobres em todo o mundo dependem do oceano para a alimentação, emprego ou rendimento e vivem em países em que as atividades relacionadas com o oceano podem estar em causa pelas várias alterações bioquímicas do mar”.

Fonte: Açoriano Oriental

14 Comentários neste artigo

  1. blank
    zé pescador

    JA DERAM CABO AO PE DE CASA E AGORA Pescador do Oceano
    AO PE DA NOSSA CASA. E AS RESERVAS POIS POIS.

    Responder
  2. blank
    PescadorPreocupado

    Meu caro Pescador do Oceano tu deves ser um gajo muito esperto, se faltar o peixe abatemos os barcos sim senhor grande homem depois comes merda.

    Responder
    • blank
      Pescador do Oceano

      Parece-me que nao percebeste meu caro amigo o que quero dizer é que a zona protegida a que chamem Condor ou seja nas formigas é uma zona protegida e muitos dos barcos vao la apanhar peixe e nao se pode e os barcos que vao lá apanhar o peixe nao teem medo pois arriscam-se pela Guarda Costeira e os que teem medo nao vao la pois se tao rapando uma área protegida pra criar mais peixes como querem ter mais entao o que deviam fazer era acabar com essas areas protegidas assim todos apanham o peixe e acabou com isso.porque assim uns ganham e outros nao amigo isso tambem nao é o meu caso porque a minha embarcaçao nao pesca no mar de Sao Miguel ele pesca é nas ilhas mas mesmo la pra baixo está mal e se está mal alguma razao é.A cabeça serve pra pensar nao pa criar PIOLHOS…

      Responder
      • blank
        PescadorPreocupado

        meu caro colega acho que anda um pouco desorientado, “Parece-me que nao percebeste meu caro amigo o que quero dizer é que a zona protegida a que chamem Condor ou seja nas formigas é uma zona protegida” condor e formigas são zonas distintas. e acho ate que deveriam ser abertas e fechar outras e ir alternando de 2 em 2 anos ou algo parecido, isto na maneira que esta não pode ficar a pesca está-se a encaminhar para um poço sem fundo que nunca mais vamos conseguir sair de lá. o Luis neto viveiros deveria deixar de se preocupar tanto com a agricultura e olhar um pouco mais para o mar, ou então que entregue a pasta dos assuntos do mar a outro que perceba mais que ele.

        Responder
  3. blank
    Pescador do Oceano

    A minha embarcaçao ja está á 1 semana e 4 dias pra ilha da terceira,faial e pico e a pesca está fraca isto é o seguinte nao deviam ter areas protegidas porque assim uns apanham e outros que teem medo nao vao ou seja quando o peixe tiver em vias de extinçao acabou pra todos e se uns apanham e outros nao os que nao apanham nao ganham nada o que quer dizer que por fim á abatimento dos barcos

    Responder
  4. blank
    PescadorPreocupado

    O governo quer e dinheiro não quer saber de onde ele vem!

    Responder
  5. blank
    DESCONTENTE

    Ex.mo Sr.Diretor Regional das Pescas a tanta gente para fazer investigaçoes no mar,tantos barcos para pesquisas.e sera possivel nao haver meios adequados para fiscalizar estes lucais que estao interditos a pesca,por reserva por um periodo de tempo serto e estao sempre la trancados a pescar isto assim nao pode ser oU pescam toudos ou entao tem que haver hordem correta,Senhores Diretores e investigadores habrem os OLHOS,,,,,,

    Responder
  6. blank
    DESCONTENTE

    Pois é o nevoeiro facilita às vezes a vida a alguns mas isso ja nao e de agora ….mas o pior e que aqueles que falavam deses tais que pescavam la ,ja estao la emperiquitados e ainda com o nariz empiriquitado canta em voz alta,ISTO É OURO,pois è vamos ver agora daqui para la
    se quando ouver mais nevoeiro vai haver mais ouro se calhar e capaz porque á pessoas que nao respeitao os propios colegas da mesma profiçao e da casa assim se pode dizer,,,,,,

    Responder
  7. blank

    POIS…ISTO ASSIM É UMA……….PORRA…..CRIA UM MAU ESTAR NA COMUNIDADE PISCATÓRIA, É ASSIM: SE É PROIBIDO É PARA TODOS, OS INFRATORES DEVEM SER PUNIDOS, MAS COMO NÃO HÁ FISCALIZAÇÃO UNS CERTOS TIPOS QUE AO FALAR COM ELES SÓ SE VÊ MOEDAS NOS OLHOS ACHA-SE NO DIREITO DE PREVARICAR…..ISTO PENSO QUE PRECISA DE UMA ATITUDE FORTE DA COMUNIDADE OU É PROIBIDO PARA TODOS OU É LIVRE PARA TODOS.

    Responder
  8. blank
    O nevoeiro...

    Afinal é já conhecido que não eram só os barcos de São Miguel que pescam no Condor… Ainda há dias foi vista uma embarcação do Faial a pescar no baixo do Condor. Os Chernes e os Gorazes foram descarregados na lota ainda a dias basta ver quem trouxe uma boa pesca 😀

    Responder
  9. blank
    zé pescador

    QUADO QUEM FESCALIZA E DONO E OU SOSSIO DE EMBARCAÇÕES QUE PESCÃO NÃO VAMOS A LADO NENHUM!

    Responder
  10. blank
    PescadorPreocupado

    enquanto profissional da pesca posso garantir a 100% que nos Açores não existem áreas marinhas protegidas, existem umas menos exploradas que outras. enquanto não começar haver penalizações exigentes como por exemplo retirar licenças de pesca nos nunca chegamos a lado nenhum, o Sr Pereira referiu o condor mas quem diz o condor diz as 3 milhas; formigas etc…

    Responder
  11. blank
    zé pescador

    ISSO E GRAVE!

    Responder
  12. blank

    NÓS CÁ NO GRUPO CENTRAL TAMBEM TEMOS AREA PROTEGIDA PARA EXPLORAÇÃO CIENTÍFICA(O FAMOSO BANCO CONDOR)NO ENTANTO APESAR DE PROIBIDA A PESCA POR LÁ ANDAM ALGUMAS EMBARCAÇÕES PROFISSIONAIS, EMBORA ESTAS CLARO ESTEJAM AO SERVIÇO DA EXPLORAÇÃO CIENTÍFICA….NÃO É VERDADE SR. LUIS COSTA? E SENHOR ROGÉRIO FERRAZ?…OS SENHORES SABEM DISSO OU NÃO?…O SR.LUIS COSTA TALVEZ NÃO SAIBA PORQUE É CÁ DA TERRA , MAS O SR. FERRAZ COMO NÃO É DE CÁ DEVE SABER……..

    Responder

Deixe um Comentário