Social
Loja das Conservas inaugura espaço português em Paris

Loja das Conservas inaugura espaço português em Paris

hhlhkl13556

A Loja das Conservas, um projeto que reúne 17 empresas conserveiras portuguesas, inaugurou em setembro o primeiro espaço numa loja ‘gourmet’ no centro de Paris.

Cerca de uma centena de iguarias em conserva, produzidas por várias marcas portuguesas, estão expostas no canto português da loja Causses, a cerca de duzentos metros do Centro Pompidou.

Paris é o primeiro destino de internacionalização da Loja das Conservas e do seu conceito de promoção conjunta num mesmo espaço comercial e o objetivo é ter uma “montra para a expansão”, explicou à Lusa Sérgio Real, presidente da Associação Nacional dos Industriais de Conservas de Peixe (ANICP) que apadrinha o projeto.

“O consumidor francês é um grande consumidor de conservas e tem um profundo conhecimento. Além disso é uma cidade que toda a gente conhece e que tem um turismo do Oriente e do Leste que são mercados aos quais também nos interessa apresentar o produto e é também um mercado a expandir”, precisou Sérgio Real.

A ideia de trazer um espaço da Loja das Conservas para Paris partiu do convite do próprio gerente da loja parisiense, Alexis Roux de Bézieux, um apaixonado por Lisboa que colocou um tapete de pedra em calçada portuguesa à entrada do espaço comercial.

“Estava num casamento em Lisboa, em novembro, vi a Loja das Conservas e adorei. Como também adoro a sardinha, falei com o gerente da loja que me falou do conceito dos produtores unidos no projeto e perguntei-lhe se queriam vir para a minha loja”, descreveu à Lusa.

Na Europa, a França é o primeiro mercado das exportações das conservas portuguesas, por isso, a novidade do projeto consiste em “reunir todas as marcas numa loja em Paris”, explicou Castro e Melo, secretário-geral da ANICP, durante a inauguração que contou também com a presença de um deputado português e de um responsável da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal.

Na prateleira portuguesa, alinham-se os enlatados de paté de truta com vinho do Porto, ovas de sardinha, peixe-espada preto em filetes, e muitas variações ‘gourmet’ da sardinha e da cavala, os dois tipos de conservas mais exportados para França.

Além dos paladares refinados do mercado do ‘gourmet’ francês, o projeto visa atingir o “mercado da saudade”, tendo em conta a importante comunidade portuguesa que vive na capital francesa, acrescentou Castro e Melo.

A indústria portuguesa de conservas conta atualmente com 21 fábricas que exportam cerca de 65 por cento da produção para mais de 70 países. Em 2013, exportaram-se quase 53 mil toneladas de conservas no valor de 218 milhões de euros.

Fonte: Noticias ao Minuto

Deixe um Comentário