Social
Pescadores contestam indemnizações mas já podem pescar

Pescadores contestam indemnizações mas já podem pescar

Desde as zero horas desta segunda-feira dia 22 de Agosto, que os 35 barcos de pesca artesanal da Póvoa de Varzim e Vila do Conde, já podem voltar a pescar na zona entre Aveiro e a Nazaré, local onde foi realizada uma prospecção de petróleo.

A companhia Mohave Oil & Gás terminou a pesquisa no Domingo e os pescadores podem regressar ao trabalho, sem no entanto continuarem a protestar pelo valor das indemnizações apresentadas.

Recorde-se que na passada sexta-feira, na Direcção Geral das Pescas em Lisboa, as associações foram confrontadas pela empresa prolifera com o valor de 150 mil euros a distribuir por mais de 100 embarcaçoes, entre os quais 35 barcos do Norte, que durante várias semanas foram impedidos de pescar naquela zona.

Segundo as associações APN e APROPESCA, que não estiveram em Lisboa, por solidariedade com José Festas e a APMSHM, que não foi convidada para a reunião, os prejuízos relativos aos 35 barcos de Póvoa de Varzim e Vila do Conde ascendem a 500 mil euros.

Por este facto, as associações prometem endurecer as formas de contestação e marcaram para terça-feira um encontro com os jornalistas para demonstrarem o desagrado desta situação.

Fonte: Póvoa Seminário

Deixe um Comentário