Social
Ramirez quer abrir nova fábrica de Matosinhos em abril ou maio de 2015

Ramirez quer abrir nova fábrica de Matosinhos em abril ou maio de 2015

A Ramirez quer até maio do próximo ano ter a nova fábrica de Matosinhos em funcionamento, adiantou Manuel Ramirez, administrador da empresa.

A nova fábrica em Lavra/Matosinhos, a Ramirez 1853, vai concentrar nos seus cerca de 40 mil metros quadrados toda a operação da Ramirez. A actual fábrica em Matosinhos vai transitar a operação para o espaço em Lavra, bem como a de Peniche. O destino a dar a esta última está ainda a ser equacionado, a parte de indústria conserveira transita, no entanto, para a Ramirez 1853.

Nesta última trabalham cerca de 35 pessoas, mas Manuel Ramirez não precisa quantas vão transitar para a nova fábrica de Matosinhos onde a empresa investiu em terrenos, construção e tecnologia 18 milhões de euros, estando prevista a criação de 40 novos postos de trabalho.

Atualmente, a Ramirez & Cia tem cerca de180 pessoas. Fechou o ano passado com 35 milhões de euros e 54 milhões de latas vendidas, adiantou o administrador. Para este ano as perspectivas são mais modestas: 30 milhões de facturação com vendas de 45 milhões de conservas vendidas. Cerca de 65% do produto é escoado para o mercado externo, com o produto de sardinha a ser o mais procurado no exterior.

Neste momento, a indústria debate-se com falta de sardinha, tendo o Governo proibido a pesca de sardinha na costa portuguesa até ao final do ano. “Estamos sem sardinha”, resume. “O que é também muito mau para o País”, acrescenta.

Em Espanha, foram encontradas alternativas – há zonas na costa espanhola onde se mantém a pesca à sardinha. “Nós somos sempre os bons alunos”, diz, adiantando que a indústria está em conversações com o Ministério da Agricultura para encontrar alternativas.

Fotografia: Ramirez

Fonte: Dinheiro Vivo

Deixe um Comentário