Social
Segunda maior lula do mundo foi dissecada em direto no Youtube

Segunda maior lula do mundo foi dissecada em direto no Youtube

A segunda maior lula do mundo esteve até esta terça-feira num museu neo-zelandês onde agora foi dissecada e analisada em direto para as redes sociais.

Sexo: feminino. Peso: 350 kg. Altura: 3,5 metros. Olhos: 35cm de diâmetro. Três corações. Morada: 1200 m a 1800 m de profundidade. Nome:Mesonychoteuthis hamiltoni

É assim a lula capturada ao largo da Antártida o ano passado, é o segundo animal intacto destas proporções. O pescador que a viu chama-lhe “besta” e foi graças à sua rapidez, ao parar a pescaria e a atirar uma lona que a suportou em peso, que a lula permanece intacta. Embora o tamanho considerável deste portentoso animal fica em segundo no pódio de ‘maior lula do mundo’, pois a maior tinha 500kg. Permaneciam as duas até esta segunda-feira em gelo no museu Te Papa Tongarewa.

Os cientistas já sabiam, desde 1925, que existiam no fundo do oceano lulas gigantes, mas as imagens que tinham delas era apenas o que restava nos estômagos das baleias. Em 2007 o mito transformou-se em realidade, quando foi capturada a primeira lula gigante, também na Antártida. Está exposta no mesmo museu e já foi vista por 4.5 milhões de pessoas.

Já a segunda lula foi vista apenas por 417,120 pessoas, mas agora no Youtube. As boas condições em que se encontrava fizeram com que fosse a eleita para estudo. “Tem olhos muito frágeis e muito grandes porque vivia nas profundidades do mar e é raro ver um olho em tão boas condições”, contaram os investigadores que a dissecaram na Universidade de Tecnologia de Auckland enquanto o processo era transmitido em direto no Youtube.

https://www.youtube.com/watch?v=8Yz_57uadUQ#t=42

O vídeo de quase 3h30 espalhou-se rapidamente nas redes sociais. No twitter a etiqueta #squidwhatch tornou-se viral e os seus utilizadores comentaram com grande entusiasmo a autópsia feita por Kat Bolstad que começa por examinar os gigantes tentáculos com ganchos e os olhos do tamanho de pés humanos.

Fonte: Observador

Deixe um Comentário