Social
Três candidatos concorrem para construção de navio de passageiros nos Açores

Três candidatos concorrem para construção de navio de passageiros nos Açores

Três candidatos foram admitidos ao concurso público para a construção de um navio de passageiros para os Açores que terá capacidade para 650 passageiros e 150 viaturas, disse à agência Lusa fonte do Governo açoriano.

A mesma fonte adiantou que, dos cinco candidatos que se apresentaram a concurso, “apenas três reúnem os requisitos de capacidade técnica e financeira exigidos” no programa do concurso, cuja primeira fase terminou.

Assim, “os três candidatos que reúnem os requisitos são os ASTILLEROS ARMON, S.A., HIJOS DE J. BARRERAS, e o agrupamento AMEDEO RESOURCES PLC e TAIZHOU KOUAN SHIPBUILDING CO, LTD”, indicou ainda a fonte da secretaria regional dos Transportes e Obras Públicas.

Os candidatos qualificados terão agora 60 dias, a partir de hoje, para apresentar a sua proposta técnica e comercial.

De acordo com o Governo dos Açores, após esse prazo, realizar-se-á um ato público para abertura das propostas, iniciando-se em seguida a fase de análise para a escolha da melhor proposta de acordo com o critério de adjudicação definido no programa do concurso.

O júri do concurso é presidido por José Manuel Monteiro da Silva, Juiz Conselheiro do Tribunal de Contas, jubilado.

O Governo dos Açores anunciou em novembro de 2013 que iria encomendar a construção de dois novos barcos para transporte de passageiros e viaturas entre as ilhas do arquipélago.

Em outubro do ano passado, o executivo autorizou o lançamento do concurso para a conceção e construção de um dos navios, com capacidade para 650 passageiros, com preço-base de 48 milhões de euros.

Na altura, o secretário regional Adjunto da Presidência para os Assuntos Parlamentares, Berto Messias, explicou que o navio se destina a assegurar o serviço de transporte marítimo de passageiros, viaturas e carga rodada no arquipélago.

“Esta decisão visa consolidar o modelo do transporte marítimo de passageiros, viaturas e carga rodada, culminando e dando seguimento à estratégia que tem vindo a ser implementada nas últimas décadas para a política de transportes na região”, explicou.

“Face ao volume da despesa de investimento envolvido, foi decidido avançar já com a construção do primeiro de dois navios, adequados, assim, à prestação deste serviço, no âmbito do atual período de programação da política europeia de coesão 2014-2020, tal como consta, aliás, das Orientações de Médio Prazo já aprovadas entre 2017/2020” do Governo Regional, acrescentou o secretário regional adjunto.

Fonte: Açoriano Oriental

Deixe um Comentário